foto8

O homem suspeito de ter matado a adolescente Bruna Santana, de 16 anos, na cidade de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador, foi preso na manhã desta terça-feira (19) – cerca de quatro meses após o crime -, depois que traços do DNA dele foram achados nas unhas da vítima, segundo informou a Polícia Civil.
Bruna Santana desapareceu no dia 18 de fevereiro, após sair da casa de familiares, no bairro Jardim Cruzeiro, para ir a um encontro, em um shopping da cidade. Ela só foi achada dois dias depois, no dia 21 de fevereiro. O corpo da garota estava dentro de um saco plástico.
De acordo com a Polícia Civil, após ter mandado de prisão preventiva cumprido, o suspeito confessou o assassinato e disse que teria asfixiado a vítima durante uma tentativa de estupro, dentro da casa dele, na mesma rua onde fica o imóvel dos parentes da adolescente.
Conforme a polícia, o homem, identificado como Gilmar Dantas dos Santos, contou que Bruna teria pedido o celular dele emprestado para fazer uma ligação e foi convidada a entrar no imóvel. Após entrar na casa, ela foi atacada e tentou resistir, mas acabou agredida e morta.
O suspeito foi identificado nesta semana, após sair o resultado do exame de DNA. Conforme a polícia, Gilmar já responde por estupro na cidade de Conceição do Jacuípe, que fica perto de Feira de Santana. Ele será encaminhado para o sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça.
Além de Gilmar, outros três suspeitos de participação no crime foram presos e soltos após 30 dias. A polícia informou que o envolvimento deles na morte ainda não foi descartado. O caso segue em investigação.
G1