p1bqse6sj81aql1m35ch113p1bo9i
A adesão da população às Campanhas de Vacinação contra Raiva tem mantido o Campo Formoso livre da doença em humanos e em cães e gatos.
Dessa forma e para continuar garantindo esse controle, a Secretaria de Saúde do município vai realizar vacinações nos dias 04, 05 e 06 de fevereiro, no Centro de Vigilância em Saúde. É importante destacar que os cães e gatos só serão vacinados nos dias estabelecidos no cronograma pelo centro.
Devem receber a dose da vacina os cães e gatos com mais de três meses de vida. Já os animais que estiverem doentes ou no período de gestação e lactação não devem ser imunizados neste período.
e5d6b2287375a08cd0c4ee7d5ab1a8fc_XL
A doença
A raiva é uma doença infecciosa aguda causada por um vírus e compromete o sistema nervoso central. Ela provoca comportamento agressivo (por isso o nome da doença), dilatação das pupilas, hipersalivação, dificuldade para engolir, irritação, alteração na forma de andar natural, contrações musculares faciais e paralisia dos membros. A enfermidade não tem cura e pode levar a vítima – animal ou humano – ao óbito em menos de sete dias.
O que fazer para evitar?
– Manter o animal domiciliado e levá-lo para passear somente com coleira e guia, evitando contato com outros animais desconhecidos.
– Não mexer em cães e gatos desconhecidos para evitar um possível ataque (essa é difícil para Felícias de plantão como eu).
– Ao ser mordido ou arranhado por um cão ou gato, lave bem o local com água e sabão e procure orientação médica na unidade de saúde mais próxima
– Em especial para os felinos, deve-se cuidar para que não saiam à noite para locais abertos; o que evita o contato com morcegos.
– A doença tem poucos casos no Brasil, mas zonas rurais, por exemplo, podem abrigar morcegos e outros animais infectados que, por consequência, podem transmitir raiva ao seu pet. Por isso, evite que o peludo tenha contato com esses animais transmissores.
Nos cachorros e no homem, o vírus da doença pode permanecer encubado por até 2 meses antes que os seus sintomas (também bastante similares) comecem a aparecer; sendo que, nos gatos, a doença destaca sinais diferenciados, mas não menos agressivos.

Ascom PMCF