Leão não conseguiu superar o Fluminense de Feira e não vai à semifinal
csm_vit1_aa02c540ce(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)
O Vitória precisava apenas dele. Duelando, no Barradão, contra o Fluminense de Feira – time que não tinha mais pretensões no Campeonato Baiano -, o Leão ia à semifinal com um triunfo qualquer. Tinha chances ainda com empate e até derrota, a depender de outros resultados. Mas começou mal, viu o Touro do Sertão abrir o placar no primeiro minuto e desanimou.
Só se deu conta da partida no segundo tempo. Aí, tentou, tentou e tentou, mas não rolou. Mesmo criando chances incríveis, não conseguiu furar o gol de Léo Paredão. Pior: tomou o segundo e deu adeus ao torneio.
No fim, o rubro-negro ficou na quinta colocação, com 13 pontos. Foi desclassificado pelo número de triunfos – tinha a mesma pontuação do Vitória da Conquista, porém triunfou três vezes, contra quatro do rival.
Deysinho foi quem abriu o placar, em uma cabeçada nos instantes iniciais. O rubro-negro sentiu e, simplesmente, não conseguia criar. O Flu, por outro lado, soube administrar o placar e chegou até a balançar a rede novamente no primeiro tempo, mas o árbitro viu impedimento.
O momento mais impactante da etapa, inclusive, foi uma lesão de Diego Aragão, aos 17 minutos. Após uma dividida com Victor Ramos – que estava em dia de estreia -, o volante caiu desacordado no chão e precisou sair de ambulância.
Recebendo muitas vaias da torcida, o Leão voltou melhor para o segundo tempo. Criou boas chances – com destaque para uma bomba de Neto Baiano, que passou raspando o travessão do goleiro Léo Paredão. Só que foi o visitante quem conseguiu balançar a rede, com Gustavo, aos 42.
O jogo
O Vitória teve a primeira boa chance do jogo. Ainda no primeiro minuto, Erick recebeu a bola, ajeitou para a perna direita e chutou para o gol – mas foi fraco e o goleiro Léo Paredão pegou. Logo em seguida, o Fluminense de Feira abriu o placar. Após uma falha da defesa do Leão, Allysson fez o lançamento e Deysinho aproveitou, livre, para cabecear por cima de Ronaldo.
Daí em diante, o Leão sentiu – e sumiu. Aos seis minutos, Deysinho teve uma nova chance, mas foi desarmado por Ramon – além de estar impedido, segundo a arbitragem. Jussimar também tentou marcar o seu, soltando uma bomba após ajeitada de Moreilândia. Ronaldo estava atento, se esticou e salvou.
Porém, seu gol foi novamente furado após uma cobrança de escanteio de Jussimar. Marcelão desviou de cabeça e Reinaldo Alagoano mandou para o fundo da rede. O bandeirinha, contudo, viu posição irregular.
Aos 17 minutos, uma cena preocupou os torcedores do Fluminense: Diego Aragão dividiu de cabeça com Victor Ramos e caiu desacordado no chão. Foi atendido por médicos de ambas as equipes, até que a ambulância entrou em campo e o retirou.
A parada, que durou sete minutos, fez os dois times diminuirem o ritmo de jogo. A próxima boa chance só veio aos 42, com o Vitória. Andrigo cobrou escanteio, enviando a bola para o miolo da área. A defesa do Fluminense afastou mal e Neto Baiano quase empatou, mas mandou para fora. O Flu respondeu com Jussimar, que recebeu um passe na área e saiu cara a cara com o goleiro do Leão. A oportunidade, porém, foi desperdiçada.
Na volta para o segundo tempo, após receber vaias da torcida, o Leão acordou e, finalmente, entrou em jogo. Aos três minutos, aproveitando uma sobra na grande área, Andrigo chutou forte para o gol, exigindo defesa de Léo Paredão.
Aos oito, uma nova grande chance, com Neto Baiano. O atacante bateu falta com vontade, enviando uma bomba que passou raspando o travessão. Ele, novamente, quase empatou aos 17. Recebeu um lindo cruzamento de Victor Ramos e cabeceou no canto, para baixo. Bem posicionado, Léo fez milagre e salvou.
O Vitória seguiu a pressão, querendo empatar a qualquer custo. Teve chances incríveis, com Victor Ramos, Felipe Garcia, Léo Ceará… Mas Léo Paredão estava em grande dia e não deixou ser vazado, para desespero da torcida rubro-negra.
Aí, veio a máxima: quem não faz, leva. Gustavo recebeu passe e chutou rasteiro para o gol. Matheus Rocha ainda tentou evitar, mas não serviu: 2×0. Fim de jogo e mais um resultado vergonhoso acumulado no ano.
RTEmagicC_c6cebb5f20.gif