Lulaa
Nesta quarta-feira (27) o relator do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4),  através do desembargador João Pedro Gebran Neto, ampliou a sentença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silvas para 17 anos, um mês e 10 dias, referente ao processo do caso do sítio de Atibaia.
Ele havia sido condenado em primeira instância, em fevereiro de 2019, a 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção passiva, corrupção ativa e lavagem de dinheiro. Ainda faltam os votos dos desembargadores Leandro Paulsen e Carlos Eduardo Thompson Flores Luz para que seja definido o julgamento.
A defesa do ex-presidente pede no processo a anulação da sentença ou a absolvição de Lula alegando, entre outros motivos, não haver provas contra ele e acusando Moro de atuar sem imparcialidade. O Ministério Público Federal (MPF), por outro lado, quer o aumento da pena do ex-presidente. (Fonte: G1)

Carlos Britto