auxilio

O Ministério Público Federal vai solicitar ao governo federal que outros bancos paguem o auxílio emergencial de R$ 600 por meio de saque. Atualmente, apenas a Caixa Econômica Federal tem feito o repasse aos beneficiários. Segundo o procurador da República Leandro Bastos Nunes, um procedimento administrativo já foi aberto pelo órgão para viabilizar a descentralização no pagamento.

“A lei que instituiu o benefício trouxe a possibilidade da entrega desse benefício por parte de instituições federais, no caso, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica. Estamos instaurando procedimento administrativo para tratar dessa descentralização da prestação do benefício do saque, para que não só a Caixa atue, mas outras instituições”, explicou o procurador em entrevista ao programa “Isso é Bahia”, na rádio A TARDE FM.

O procurador foi um dos autores da ação civil pública que culminou na decisão da Justiça Federal de obrigar a Caixa a adotar medidas para assegurar o distanciamento de 2 metros entre as pessoas nas filas e no atendimento interno nas agências. A ação foi em conjunto com o Ministério Público da Bahia (MP-BA).

Nunes espera que a Polícia Militar da Bahia ajude o banco no cumprimento da medida. A instituição tem alegado que não conseguiria sozinha assegurar o distanciamento. “O governo do estado foi colocado como réu na ação, mas preferiu atuar no polo ativo, ou seja, preferiu atuar ao lado MP-BA. A gente está inferindo que o estado vai colaborar para que a PM esteja no cumprimento dessa medida, prestando de forma voluntária esse serviço”, afirmou.


A Tarde