Efeitos negativos da Covid-19 impactaram 44% das empresas em julho, diz IBGE
Crédito da Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Na primeira quinzena de julho, 44,8% das 2,8 milhões de empresas brasileiras perceberam as consequências negativas da pandemia da Covid-19. O efeito foi pequeno ou inexistente para 28,2%. Para outros 27%, os efeitos das medidas de isolamento social foram positivos.
Os dados são do terceiro ciclo da Pesquisa Pulso Empresa, divulgada nesta terça-feira (18/8) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o levantamento, as empresas mais afetadas são as pequenas, que têm até 49 funcionários e respondem por 2,7 milhões do total pesquisado. Nesta faixa, 44,9% sofreram impacto negativo.
Nas médias, quem tem entre 50 e 499 funcionários, o impacto negativo foi sentido por 39,1%. Entre as grandes, o percentual ficou em 39,2%. Já o impacto positivo foi sentido por 27% das pequenas empresas, 23,4% das médias e 25,3% das de grande porte.
O setor de serviços foi o mais impactado no período pesquisado, com 47% das 1,2 milhão de empresas relatando efeitos negativos, com destaque para os serviços prestados às famílias (55,5%) e os serviços profissionais, administrativos e complementares (48,3%). No setor do comércio os efeitos negativos atingiram 44% de 1,1 milhão de empresas, com maior impacto no comércio de veículos, peças e motocicletas (52,4%).

Fonte : ARATUon