Pandemia: Festa clandestina no Peru termina com 13 mortos por asfixia e seis feridos
Crédito da Foto: reprodução/Twitter @treintona_c
Pelo menos 11 homens e duas mulheres morreram esmagados ou asfixiados e enquanto tentavam sair de boate situada em Lima, no Peru, durante uma operação policial ocorrida na noite do sábado (22/8). Outras seis pessoas, três policiais e três civis, ficaram feridas. As informações são do jornal  "El Comercio".
Vizinhos da casa de eventos Thomas Restobar acionaram a polícia porque o local que funcionava clandestinamente, contrariando as restrições impostas pelo governo para combater a disseminação do novo coronavírus. Ao notarem a presença da polícia, cerca de 120 pessoas tentaram fugir do local, correndo em direção a única porta do estabelecimento. Durante o tumulto, alguns jovens, entre 20 e 30 anos, acabaram sendo esmagados uns pelos outros. Pelo menos 23 participantes foram detidos.
Testemunhas alegam que os policiais usaram bombas de gás lacrimogêneo durante ação.  A polícia local alega que não foram utilizadas armas ou artefatos de efeito moral no local. A ministra da Mulher e Populações Vulneráveis, Rosário Sasieta, acusou os donos da discoteca Thomas Restobar como os responsáveis pelo ocorrido. 
“Peço a máxima sanção para os responsáveis. Estamos falando de homicídio doloso por busca de lucro", disse  Sasieta em um pronunciamento.
O Peru registra um total de 585.236 casos de coronavírus até o sábado. Bares e casas noturnas foram fechados por determinação do governo local desde março. O país também proibiu reuniões de família no início do mês agosto. Além disso, Peru tem o segundo maior índice de infecções pelo vírus da América Latina. O caso será investigado pela polícia.

Fonte:ARATUon