O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) divulgou neste domingo (15.nov.2020) que, depois de 6 horas de votação em todo o Brasil, foram registradas as prisões de 66 pessoas e a troca de 1.700 urnas eletrônicas. A votação começou às 7h e vai até as 17h. Os eleitores de 5.567 municípios escolhem prefeitos, vice-prefeitos e vereadores.

Pandemia impôs cuidados adicionais para eleições 2020; na foto, local de votação em Valparaíso, em Goiás© Marcelo Camargo/Agência Brasil Pandemia impôs cuidados adicionais para eleições 2020; na foto, local de votação em Valparaíso, em Goiás

Foram mais 17 candidatos presos em relação ao último boletim divulgado pelo TSE (84 KB). Já os não candidatos presos saíram de 16 para 36. As substituições de urnas saltaram de 923 para 1.700. Eis a íntegra do boletim divulgado às 14h (127 KB). Os números foram atualizados às 13h14.

As prisões de candidatos foram realizadas em 8 Estados: Goiás (2), Minas Gerais (8), Mato Grosso do Sul (1), Paraíba (1), Pernambuco (2), Paraná (5), Rio de Janeiro (2) e Sergipe (9). Os crimes cometidos foram de usar auto-falantes (1), boca de urna (20), divulgação de propaganda (5), transporte ilegal de eleitores (1) e corrupção eleitoral (3). O total de ocorrências envolvendo candidatos, incluindo as que não tiveram prisões, totalizam 43. Salto de 20 em relação às 23 do último boletim.

Das 1.700 urnas trocadas, 315 foram em São Paulo, o maior colégio eleitoral do Brasil. O Rio, que vem logo atrás em tamanho, teve 295 trocas. O 3º maior eleitorado, em Minas Gerais, teve 207 trocas. Ao todo, o TSE conta com 400.257 urnas nestas eleições. O número de equipamentos substituídos até agora representa 0,38% do total.

Mais cedo neste domingo (15.nov), o TSE informou que cerca de 400 mil eleitores justificaram suas ausências na votação por meio do aplicativo do e-Título até as 8h30.

A área técnica do Tribunal também disse que a plataforma pode ficar instável em alguns momentos pela quantidade de acessos. Se isso acontecer, é só tentar novamente depois de alguns minutos.

A dificuldade em usar o app, além das fotos nada lisonjeiras dos eleitores que aparecem na interface do documento digital, gerou críticas e memes na internet. Baixe o e-Título aqui (Android) ou aqui (iOs).


Fonte: Msn