© Sérgio Lima/Poder360 O senador Major Olímpio (PSL-SP) foi diagnosticado com coronavírus

A morte de Olímpio foi confirmada no Twitter oficial do congressista. Segundo a publicação, a família terá que aguardar 12 horas para a confirmação do óbito e verificará quais órgãos poderão ser doados.

© Fornecido por Poder360

Em 5 de março o senador foi transferido para a UTI do hospital que estava internado na capital paulista. Antes, ele participou de uma sessão remota do Senado já hospitalizado e com a voz enfraquecida.

O congressista discursou sobre a PEC (Proposta de Emenda à Constituição), cujo texto foi aprovado por 62 a 16.

Com a voz debilitada, Olímpio disse que reconhecia o esforço do relator do tema, Márcio Bittar (MDB-AC), de encontrar um texto que forme consenso para voto.

“Eu reconheço a tentativa do esforço do senador Marcio Bittar, mas essa PEC 186, na sua essência, foi mais uma forma de achincalhe aos serviços públicos, aos servidores públicos que são realmente as pessoas que estão neste momento defendendo a sociedade”, disse.

Evolução ao longo dos anos

O nome de urna de Olímpio evoluiu junto com sua patente na Polícia Militar de São Paulo. Em 2002 disputou o cargo de deputado federal com o nome de Capitão Olímpio. Ficou como suplente, então filiado ao PPB (nome antigo do PP).

Em 2004, tentou ser vereador em São Paulo, de novo pelo PP. Também não foi eleito, novamente ficou como suplente.

Em 2006, já como Major Olímpio, concorreu a uma cadeira na Assembleia Legislativa de São Paulo pelo PV. Foi eleito. Em 2010 foi reeleito, mas pelo PDT.

Disputou a eleição de 2014 ainda filiado ao PDT e foi eleito deputado federal.

Tentou ser prefeito de São Paulo em 2016, pelo Solidariedade. Teve 2% dos votos. João Doria (PSDB) ganhou a disputa no 1º turno.

Em 2018 conseguiu se eleger senador impulsionado pela onda que levou Jair Bolsonaro ao Palácio do Planalto. Agora, pelo PSL.

Fonte:Msn